terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Insônia

Um copo de coca-cola ao acordar, 6 xícaras de café, uma torrada com manteiga, meio omelete, um gosto esquisito na boca e a sensação de não estar realmente acordado.
Se seu dia começa assim, ele provavelmente nunca terminará. Pelo menos era a impressão que dava. Ou a impressão que ainda dá. A impressão que o dia não acaba nunca. Que o ano passa num dia só, um dia muito longo e você com a sensação de não estar exatamente acordado. De repente tudo está amortecido. Você não percebe quando começa, e não tem previsão de quando termina. O tempo passa de forma peculiar. Você vê o sol nascer. E vê o sol nascer de novo. E vê o sol nascer de novo, e vê o sol nascer de novo.
Você liga a cafeteira.
Você espera. Acorda de tarde na cama com a cafeteira desligada. Acorda quando todos os prédios estão com as luzes apagadas e você só ouve buzinas distantes de algum outro lugar onde há pessoas acordadas enquanto os prédios estão com as luzes apagadas ouvindo buzinas distantes de algum outro lugar onde há pessoas acordadas enquanto os prédios estão com as luzes apagadas. A impressão que o dia não acaba nunca.
Você não percebe quando começa, e não tem previsão de quando termina. Uma sensação constante de déjà vu. De repente tudo está amortecido, e você ouve as buzinas distantes, a geladeira, olha o calendário, pergunta a si mesmo se já não tinha olhado antes, porque tinha certeza que não era quarta-feira. Você faz notas mentais. Lembrar que é quarta-feira. Se o dia começar assim, ele provavelmente nunca terminará.
As buzinas se misturam com o zumbido que se mistura com o gosto ruim na boca que se mistura com o café que se mistura com o calendário. Quinta-feira.
Pelo menos era a impressão que dava. Você tenta se lembrar das notas mentais, porque tinha certeza que era quarta-feira. Não é exatamente confusão, não é exatamente preciso, e você não está exatamente acordado. Pelo menos era a impressão que dava. Ou a impressão que ainda dá.
Um copo de coca-cola, 3 xícaras de café, os ovos acabaram. Você faz notas mentais de que precisa comprar ovos. E lavar a louça. Sexta-feira.
Acorda a noite na cama com a cafeteira ligada. Acorda com a janela aberta e a luz da lua amortecida por outras luzes de prédios de algum outro lugar onde há buzinas e cafeteiras desligadas. O tempo passa de forma peculiar. As notas mentais se misturam com o zumbido que se mistura com o gosto de café na boca que se mistura com a janela aberta e você se pergunta se hoje ainda é quinta-feira. Tem ovos na geladeira. O tempo passa de forma peculiar. Domingo.
Para onde foi o sábado? Você se pergunta se foi ao mercado na sexta-feira.
A impressão que o dia não acaba nunca e você não está exatamente dormindo. A impressão é que o ano passa num dia só, um dia muito longo e você com a sensação de não estar exatamente acordado.
Estamos em 2010. Você não percebe quando começa, e não tem previsão de quando termina. Uma sensação constante de déjà vu. Domingo.
Você acorda quando quase todos os prédios estão com as luzes apagadas e você só ouve buzinas distantes de algum outro lugar mas vê uma janela com a luz acesa do outro lado com alguém olhando para fora. Você olha para fora, olha para o outro lado mais longe, com a janela acesa, e faz uma nota mental.

47 comentários:

May disse...

Você está mas não parece estar. Realidade longe...

Ferdi disse...

E a vida vai passando, você faz notas mentais com 18 anos, depois continua fazendo com 24 e 32 e 74, você não viu que passou isso tudo de tempo e não sabe exatamente em que ocasião suas mãos com uns aspecto tão diferente e seus cabelos ganharam essa nova tonalidade.
A gente não se dá conta da vida.

Cough disse...

Tua forma de escrever e falar são legais cara. Algo assim que parece ter sido muito pensado. Tudo é dito de forma estática. Parado. É como se você fosse um personagem de uma história em quadrinhos feito de carne e osso. ^^

Sophia disse...

E a impressão de que o texto nunca vai acabar... E a repentina percepção de que acabou o texto e o dia não...
E agora?

Helen disse...

Ai isso é tãoooo clube da luta. Mas mesmo assim bem escrito e sagaz!

myopiandown disse...

tão... onírico...

Richard Mendes disse...

A questão é que os dias não são e jamais serão algo quando você não se abtua as suas proprias celas; viver num unico tempo da medo e sensação de liberdade que no fim nao é tão boa porque você acaba se prendendo na propria liberdade do tempo e seu tempo acaba nunca passando ou sequer mudando..., toda hora acaba sendo a mesma hora...

Master777 disse...

Mas.... Poxa vidaaaa

guarda chuva é sombrinha disse...

A insônia tem suas exigencias,não é p/ qualquer um,tem saber lidar com ela,e quando se sabe, vira festa,vira luxo,Pc.

α .α я η α υ Ժ disse...

é como uma circunferencia você numa completa pela ultima vez os 360°, assim penso :/

NaNa Caê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Glimps of Ana disse...

Um dia engole o outro, quando você vai parar pra pensar vê que o seu coração esta cansado de tanto bater, não consegue atualizar-se mais e não sabe o por que de tanto trabalho realizado... Sua mente começa a pifar.

Maria Luiza disse...

@__Malu

Eu adorei esse post. Muito bom, faço faculdade de Letras, e seu texto é muito melhor do que MILHÕES que sou obrigada a ler. Me identifiquei, só não sei se isso é bom.
Parabééns!!

Rodrigo disse...

E você continua nessa realidade monótona de pensar no fato de que você já não tem mais o que pensar, e começa a imaginar realidades totalmente paralelas e quando se dá conta de que era tudo mentira você, nota que o dia já passou, e volta àquela chatice de pensar em não ter o que pensar, até que quando você percebe você pensa que está escrevendo uma crônica totalmente fora de nexo, e quando se dá conta de verdade você escreveu uma crônica totalmente fora de nexo, e começa a se perguntar como aquela crônica foi parar ali, e percebe que foi você que escreveu, e quando se dá conta você clicou em um botão estupidamente chamativo que diz: "Publicar Postagem".

Rodrigo disse...

E você cointinua nessa realidade monótona de pensar no fato de que você já não tem mais o que pensar, e começa a imaginar realidades de um mundo totalmente paralelo, e quando você se desacorda daquela realidade totalmente monótona o dia já passou, e esse ciclo se repete ligeiramente devagar, e quando se dá conta uma semana já se passou, e você continua pensando em não ter o que pensar, e, na frente da tela do computador, começa a pensar em escrever crônicas totalmente sem nexo, e quando desacorda daquele sonho acordado você se dá de cara com uma crônica totalmente sem nexo, e se pergunta como aquilo foi parar ali, e com uma esquisita sensação de déjà vu você começa a perceber que foi você que criou aquela crônica sem nexo, e começa a pensar em não ter mais o que pensar, e quando se desacorda daquela realidade totalmente paralela você nota que acabou de clicar em um botão estupidamente chamativo que diz: "Publicar Postagem".

ronaldo07 disse...

PC fala do Restart
eu acho uma merda e vc?

Senk. disse...

Escreve um livro cara. Dá pra mudar um pouco o mundo assim.

Walkley disse...

impressionante...

Gabriela disse...

Você escreve muito bem.

Rodrigo disse...

Eu mim chamo Rodrigo, tenho um blog( q novidade ter um bolg)e ele é pouco popular, sabe eu tenho vontade q mais pessoas vejm meu blog e quem puder ver passa lá www.poxakividinha.blogspot.com e se gostar e quiser seguir.

pc vc é inclivel vey, adoro seu canal)

xau, até a proxima.

SaraKeytchon disse...

odéio ter insônia...

SaraKeytchon disse...

Odéio ter insônia...

SaraKeytchon disse...

Odéio ter insônia...

Diiσgσ disse...

Paulo césar siqueira,então...
eu também escrevo,e gostaria que você lesse;bom,o Felipe Neto leu,e gostou alias,agora depende de você me dizer o que acha !
http://diiogomartinelli.blogspot.com/

Diiσgσ disse...

Paulo césar siqueira,então...
eu também escrevo,e gostaria que você lesse;bom,o Felipe Neto leu,e gostou alias,agora depende de você me dizer o que acha !
http://diiogomartinelli.blogspot.com/

On The Viking Land disse...

"o Felipe Neto leu e gostou, acessa meu blog" é foda. haha
Pc, daria um bom monólogo esse teu texto.

... eu me impressiono como o tempo passa sem pedir licença, esse maldito,
mal-criado.
2010 já tá acabando,
2020 tá perto que só,
estou na minha cadeira de balanço,
com meus netos em volta, esperando pacientemente com uma chícara de café, o turn off.

Lulu disse...

Nossa, Pc. Muito bom, muito bem escrito. Passou a sensação perfeita, bem subjetivamente. Ahaha Múltiplos talentos, é? =) Bom escritor, também! Beijo, gosto de você e do seu jeito.

Fox disse...

E o nome disso é angústia.

Lívia Sheila disse...

vc é minha alma gemea hehehe

Jéssica disse...

O pior é chegar a conclusão
q o sentido de tudo isso está
em nossas mãos... por si só,
nada faz sentido...
Bom, sem devaneios, eu adoooro vc! Fala a verdade que,
pelo "bom senso", às vezes não falamos ... uma graaaaaça!!!!!

O diário de uma Nerd disse...

www.odiariodanerd.blogspot.com

O diário de uma Nerd disse...

www.odiariodanerd.blogspot.com

jorge luiz disse...

gostaria de encontrar o que dizer para não ler tudo isso, quero dizer, o texto é perfeito. Mas... Essa é a parte ruim de ser inteligente: você enxerga as coisas. E sente.
Aline

C. Mazoni disse...

Daqui a pouco a pele enruga e a visão fica embaçada. É tão estranho como o tempo insiste em passar rápido.

olivia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatrice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatrice disse...

Isso é tão clube da luta. Toda essa repetição do texto o deixa cada vez mais interessante. Falando nisso, eu não consigo ler seus textos sem pensar em clube da luta. É meio que obsessivo e ridículo, mas é sério. Mais que sério até. Enfim, adorei.

Isabela disse...

"Déjà vu all over again..."

Israel Terminiello disse...

Genial

Gabi disse...

Eu pensando que você só era o cara dos videos e o chato do twitter, me surpreendeu com seus textos e com maneira real de escrever.

ROGGER disse...

Genial.

welcome to paradise disse...

GENIAL.

Luava Voca disse...

Noite e dia.
Diz que faz sentido,
mas não faz.

Quem disse que a noite
É noite

E o dia
Dia

Eles não sabem o que falam
Nem nós

Não acredito em insônia

Já que o dia pode ser noite
E a noite dia

(isso não faz sentido)

Denis Matsunaga disse...

Podem visitar meu blog de humor? www.seligaoudesliga.com.br

Fernanda disse...

eu tinha insônia quando era criança, minha mãe me chamava de zumbi, me lembro que, eu ia escrever um dos, mais acho que não tem outro dia que eu ache bom, voltando, o melhor dia da minha vida até agora(23) anos foi uma madrugada que passei comendo geleia branca e rosa e lendo um gibi da disney nem lembro bem qual só sei que era azul brilhante; apesar de dormir bem mais hoje na verdade de mais, morro de medo de voltar a ter insonia, e eu não tenho a menor noção de tempo e espaço, acho que meu subconsciente ta apagante muita coisa para eu sobreviver, e acho que isso deve acontecer com muita gente

Amanda disse...

É, realmente, não tem como ler sobre insônia sem me identificar. E ninguém entende quem tem insônia, dizem que é só deitar e fechar o olho. ¬¬ Aham, sei. O pior é ter que ouvir gente botando a culpa na quantidade de café que eu tomo, como se a culpa da insônia fosse toda dele. Mas a realidade de muitos é essa: o que a gente não pode refletir de dia, a gente passa a noite pensando e repensando. Não dá nem pra dizer no que a gente pensa, porque já é certo que ninguém vai entender.

http://antigosdiarios.blogspot.com.br/

Super Escritor disse...

É assim que eu me sinto às vezes. Parabéns, seus textos são bons.